Entrevista : Cassia Cassitas

Oi (=
2014 já voltou faz onze dias e eu só cheguei agora! D:
Como vocês estão ? Estava com saudade de vocês .. Não acreditam no que eu consegui! Uma entrevista com a Autora Cassia ,exclusivamente para o blog! Não acredita também ? Vem dá uma conferida! *--*
Bem,vou falar um pouquinho sobre ela. 

Esse não é o primeiro livro de Cassia. Ela  publicou sua primeira obra, Domingo, O Jogo, em 2010, quando alcançou o topo do ranking dos livros eletrônicos mais vendidos no Brasil e onde ficou por 33 S-E-M-A-N-A-S! O livro já tem versão disponível em inglês. Cassia Cassitas hoje vive com sua família em Curitiba onde seus sonhos prosperam sob os olhos de seus leitores.
Preparei algumas perguntinhas para ela,e ela foi super atenciosa e educada comigo. Obrigada! (;

Vi que você fez a sua carreira na área de tecnológica. A partir de qual momento decidiu que gostaria de ser uma escritora?

Eu sempre quis. A vontade de escrever me acompanha desde a infância. Após vinte anos na informática, filhos crescidos, chegou o momento de viver esse desejo.

Teve algum preconceito por parte da sua família quando escolheu essa carreira?

Houve preocupação, pois todos sabem que é uma área difícil.

 Quais foram as maiores dificuldades ?

A primeira dificuldade é colocar nas páginas de um livro ideias guardadas, pois ao escrever, experimentamos o que oferecemos ao leitor. Depois vem a parceria com a editora, fazer o livro chegar às prateleiras das livrarias e sites especializados, e então a divulgação. Junte a isso a realidade das redes sociais, e chegará à conclusão que dias de 24 horas é o maior dos desafios.

 Quais foram as inspirações para os seus livros ?

Os pilares da sociedade. A família é a instituição mais antiga da humanidade, e palco do meu primeiro livro, Domingo O Jogo. Propus um olhar alternativo à infância, ao conflito, às deficiências usando técnicas de administração em busca do sucesso pessoal. O segundo livro aborda a relação da humanidade com o dinheiro. A primeira geração da família de Ricardo é destituída de suas terras na Italia no final do século XIX, assim como os americanos deixaram suas terras na crise de 1929, e novamente perderam suas casas na crise de 2008. Todos refazem seus caminhos em busca de fortuna. Há muitas lições esquecidas nesse caminho trazidas à tona em Fortuna A Saga da Riqueza.

O que você gosta de ler? Indique alguns livros para nós.

Muito importante essa questão, Rafaela, pois antes de tudo, é preciso gostar de ler. Todos os gêneros ampliam nossa percepção. A melhor escolha é a que nos encanta. Minha indicação é ir a uma livraria, virtual ou física, e deixar as capas te fisgarem. Então, ler a contracapa ou a sinopse do livro, as orelhas, as informações sobre o autor. Quando fazemos isso, damos a oportunidade do livro se apresentar e nos escolher como leitor.

 O que você faz quando tem tempo livre?

Adoro cinema, um bom papo e uma boa novidade. Quando posso, aproveito um pouco disso tudo.

 Você tem um processo de criação para um livro? Ouvir música? Escrever em casa ou no escritório? À mão ou direto no computador?

Cada livro é um projeto. Faço pesquisas, estabeleço as linhas básicas e vou preenchendo. Gosto de escrever em silêncio para conversar com as palavras, verificar como se encaixam na frase. A música me ajuda nesse preenchimento. Tenho meu escritório em casa, onde passo a maior parte do meu tempo. Se puder, escrevo no computador. Se não for possível, anoto no celular ou na caderneta que está sempre ao meu alcance.

Você tem alguma mania na hora de escrever seus livros?

Não, prefiro o silêncio embora algumas vezes escreva até na frente da televisão.

Já levou um “não” de alguma editora ? E se sim, como reagiu ?

Ah, sim. Fiquei um pouco triste e me perguntei: qual é a próxima opção?

O que você faz para não desanimar?

Estudo, trabalho e me esforço para fazer melhor. Hemingway nos deixou essa lição ao reescrever vinte vezes O Velho e o Mar até ser aceito pelo seu editor.

 Qual o conselho que você daria para alguém que também tem o sonho de publicar um livro?

Além de ler muito e escrever frequentemente? Acho que diria para escrever um livro que gostaria de comprar, ler, indicar para o melhor amigo. O primeiro leitor a ser convencido é o próprio autor.

Fortuna A saga da Riqueza, já está em sua 2º edição. Qual foi a sensação ao escrevê-lo?

A pesquisa realizada me apresentou a riqueza e a pobreza em que a humanidade está mergulhada. Foi muito difícil encarar certas coisas que o ser humano é capaz de fazer com seus semelhantes, por riqueza e poder. Várias situações foram incorporadas à trajetória dos personagens do romance. Então introduzi as estórias de amor, as oportunidades de transformação, e isso foi muito bom.

 Poderia contar só um trechinho do livro para nós?

“Assim como o amor incita à plenitude, alguns momentos fazem soar o relógio da existência, desencadeando uma desenfreada urgência de viver. O encontro de Ricardo e Carolina era mais que uma atração. Envolvia encorajamento, atenção e, fundamentalmente, um apoio mútuo. Se o caminho se configurava como uma corda bamba, não importava. Sentindo-se aptos a vencer em quaisquer circunstâncias, se portavam como equilibristas. Este era o significado do encontro entre aquele homem e aquela mulher.”

E aos leitores, o que podem esperar daqui para frente de você? Teremos mais livros publicados?

Claro, em 2014 lançarei meu próximo romance em que abordo a felicidade. Os leitores podem esperar emoção e muitas surpresas.

Já pensou em escrever livros sobre outros assuntos/temas?

Acho que desenvolvimento pessoal é meu grande tema. Assim como há administração e filosofia em Domingo O Jogo, economia e historia brasileira em Fortuna A Saga da Riqueza, no projeto de meu próximo livro constam grandes temas da atualidade na estória de um garoto que vai encantar o leitor.

Qual a sensação ao se deslocar a uma superfície comercial, e ver os seus livros à venda no topo?

A sensação é ótima, quero muito repeti-la!

Cassia, obrigada pela oportunidade de me deixar te entrevistar. Gostaria de deixar algum comentário?

Deixo para você uma frase que gostaria de “grudar” em todas cabecinhas jovens e rebeldes: “Um país se faz com homens e livros”. (Monteiro Lobato)

Então gente,gostaram ? Eu também,gostei bastante. Não desistam de seus sonhos .. Eu também tenho como um sonho escrever um livro! Se quiserem saber um pouquinho mais sobre ela e adquirir os livros , tem tudo AQUI!
E essa não será a primeira entrevista do blog viu?! É isso gente, um beijo da Rafa! :*

0 comentários:

Postar um comentário

 
Arquivos de Rafaela | Layout feito por AN Tecnologia